domingo, 16 de outubro de 2011

Cinemas onde vi filmes: Salão Lisboa ou o "Piolho"

Cinema Salão Lisboa. 1968. Eduardo Gageiro.


O Cinema Salão Lisboa (o piolho) era um cinema de sessões continuas (dois filmes) e dos mais baratos, onde miúdo 13/14 anos gritei muitas vezes "ò marreco olha o sonoro" e apupei ainda mais vezes quando me parecia que cortavam qualquer coisa. Este cinema e o Olympia era onde passava os sábados e domingos, por serem os mais baratos e os que tinham (acreditava eu naquela altura) mais variedade de filmes.


Páginas sobre o Cinema Salão Lisboa da autoria de M. Félix Ribeiro em 
OS MAIS ANTIGOS CINEMAS DE LISBOA, edição da Cinemateca, 1978.


Cinema Salão Lisboa. 1967. Sid Kerner. 


Cinema Salão Lisboa. 1961. Artur Goulart.


Planta do Cinema Salão Lisboa e foto da bilheteira da autoria de M. Félix Ribeiro 
em OS MAIS ANTIGOS CINEMAS DE LISBOA, edição da Cinemateca, 1978. 



Cinema Salão Lisboa (o piolho) em 1949 e o Arco do Marquês de Alegrete. ??


«A rua do Arco do Marquês de Alegrete hoje em dia confunde-se com a praça Martim Moniz. O nome ficou-lhe do proprietário do sumptuoso palácio, o 1º Marquês de Alegrete, que o mandou construir em 1694, e ali existiu até 1946 junto à porta de São Vicente da Mouraria. Arruinado pelo terramoto de 1755, deixou de ser habitado pelos seus proprietários e foi alugado a modestos inquilinos que ali fizeram estabelecimentos comerciais e industriais. Tinha o palácio três frentes, duas para locais já desaparecidos: o largo Silva e Albuquerque e a rua Martim Moniz, e a terceira para a rua da Mouraria. Em 1946 foi demolido para dar lugar à actual praça Martim Moniz.»


 Cinema Salão Lisboa. 1977. Vasques.


  Cinema Salão Lisboa. 1977. Vasques.


 Cinema Salão Lisboa. 1970. Armando Serôdio.



(Fotos do do Arquivo Fotográfico da CML)




Sem comentários:

Publicar um comentário